5 pensamentos errados sobre o Facebook - FabioAlx

5 pensamentos errados sobre o Facebook

 em Redes Sociais

Nem mocinho, nem bandido, apenas uma rede social que vive de publicidade

Há 11 anos, o Facebook nasceu e veio se tornando a principal rede social do mundo. Segundo o eMarketer, a rede social conta com 89 milhões de brasileiros cadastrados em 2014, sendo que 59 milhões a acessam diariamente. Foram 400 bilhões de fotos compartilhadas desde 2005, 4.75 bilhões é o volume de conteúdo publicado por dia, 4.5  bilhões de curtidas por dia em 2014.

A grande adesão do público chamou a atenção de marcas que logo conseguiram criar seu espaço através da criação de fanpages, que serve como uma vitrine para que cada empresa possa explorar seus pilares em forma de conteúdo para os usuários; além de abrir um canal para relacionamento entre marca e consumidor.

Não demorou muito para que começassem a aumentar o número de profissionais de mídias sociais para lidar com toda essa demanda de um mercado muito novo, mas cada vez mais consolidado e forte. Só que de uns tempos para cá, o Facebook desenvolveu novas funções em seu algoritmo que favorecem conteúdo patrocinado e diminui o alcance orgânico das publicações.

Muitas pessoas veem essas medidas como algo negativo, mas se pararmos para pensar como a cabeça de um homem de negócios que gere a maior rede social do mundo e que te dá, gratuitamente, um espaço para você expor as suas ideias… Será que isso está tão errado assim?

Veja abaixo cinco pensamentos que muitas pessoas podem achar errados sobre o Facebook, mas que avaliamos por outro lado.

1) Não é brinquedo:

Ele é feito para mapear comportamento e vender;

Com seu algoritmo, o Facebook mapeia de acordo com as ações dos usuários o que ele considera mais relevante para seu perfil. Assim, o público corre menos risco de receber conteúdo irrelevante, assim como anúncios, e as marcas não gastam dinheiro anunciando para quem não tem interesse no que ela tem a dizer. Esse mapeamento é um serviço que faz com que seu anúncio seja melhor direcionado e que você fale com as pessoas certas.

2) Não é vilão:

Ele cobra por publicidade num mundo criado e mantido por profissionais;

Para desenvolver o algoritmo e as estratégias de como melhorar ainda mais a rede social, o Facebook conta com uma gama de profissionais inteiramente dedicados para seu avanço. Para que seu trabalho seja pago corretamente, nada mais justo do que os principais beneficiados com este serviço pagarem  por ele também, ou seja, as marcas que têm interesse em terem mais relevância e melhor diálogo com seu público na rede social.

3) Não é sério:

o ambiente é descontraído e propenso ao diálogo;

Depois que a Prefeitura de Curitiba assumiu uma persona e todo mundo se apaixonou pelo simpático Prefs, muitas marcas e instituições entraram na onda e quiseram ser mais extrovertidas e simpáticas em sua comunicação online.

Parece que finalmente entenderam que redes sociais são para se relacionar e que ninguém está ali para falar sério. É um ambiente social, quanto mais próximo do seu público você estiver, melhor.

4) É para falar de mim (marca):

apesar de tudo o Facebook é um local onde as pessoas buscam socializar;

Assim como é insuportável conversar com uma pessoa que só fala de si, é insuportável conversar com uma marca que faz o mesmo. É preciso balancear o seu conteúdo para que o usuário se sinta motivado a fazer alguma ação. O público que está no Facebook sabe muito bem o peso que uma interação vale para a página de uma marca, por isso se torna cada vez mais exigente – com toda razão.

5) Boca a boca 2.0:

as avaliações dos usuários têm um peso muito alto na decisão de compra dos indivíduos.

Assim como na vida real, na internet a indicação de alguém que teve alguma experiência – positiva ou negativa – com alguma empresa contará (e muito) na hora da decisão de compra. Por isso é bom ficar atento às recomendações de seus usuários na página, assim como em comentários, publicações no mural e mensagens inbox, para resolver problemas e retribuir elogios e mostrar a consumidores potenciais que a marca respeita e se importa com o público.

Nas redes sociais, ter a sua identidade bem definida e se relacionar fazem toda a diferença tanto para o seu nicho de mercado, quanto para as demais marcas que estão presentes nas redes sociais. O Facebook é um lugar de negócios para você e um local de socialização para seu consumidor. Tenha foco na sua meta sem deixar de atender a expectativa do seu mercado.

Recent Posts

Deixe um comentário

Start typing and press Enter to search